Os riscos da estação das chuvas

Os riscos da estação das chuvas

A cidade de São Paulo vive sua maior crise de abastecimento de água de toda história e, apesar da estação das chuvas estar se aproximando, a solução ainda está longe de ser estabelecida. E o que seria um grande alívio, que minimizaria a crise de abastecimento, a estação das chuvas vai trazer mais transtornos para o paulistano nos próximos meses.

Quando a solução para o grande problema parece estar começando a se concretizar, eis que um novo, consequência do primeiro, se fará presente: A chuva minimizará a crise do abastecimento mas também será responsável pelo aparecimento de insetos e animais sinantrópicos nos ambientes urbanos. A combinação chuva + verão é responsável pela proliferação de pragas urbanas que são causadoras de doenças aos humanos. Normalmente, os moradores das periferias dos grandes centros urbanos são os mais afetados por doenças transmitidas por pragas pois, as regiões onde vivem, contam com uma estrutura de saneamento básico deficitária, tem moradias instaladas em locais com relevos de risco (como em beiras de córregos ou em morros) e contam com alta densidade populacional, o que pode aumentar a possibilidade de contágio.

Por conta da saturação das redes de esgoto na época de chuvas, animais que vivem nesses locais como ratos, baratas, escorpiões, entre outros, são obrigados a se deslocar e buscar novas moradias e locais para alimentação, encontrando nos ambientes urbanos as condições ideais para a sobrevivência. Além de deslocar os animais, as águas das enchentes também direcionam seus dejetos às áreas urbanas. Portanto, o contato humano com a água contaminada pode transmitir Leptospirose, infecções gastrointestinais, micose e até a conjuntivite.

Os animais sinantrópicos e peçonhentos (como ratos e escorpiões) encontrarão nos escombros provocados por alagamentos ótimas condições de moradias e terão, a partir de então, o inevitável e perigosíssimo contato com o humano.

O acúmulo de água nos entulhos e objetos oferecem condições perfeitas para a reprodução de mosquitos transmissores de doenças como o aedes aegypt (transmissor da dengue).

Além de todos os riscos de doenças, a estação das chuvas também provocará alagamentos por conta de estruturas inapropriadas, ocupação das regiões de várzeas, acúmulo de lixos nas redes de esgoto, etc.

Para acabar com todos os problemas impulsionados pela estação das chuvas, é preciso tomar atitudes drásticas que estariam fora do alcance dos cidadãos na atualidade. Dentre as atitudes estaria a implantação de 100% de saneamento básico em todas as regiões das cidades, retiradas de comunidades de áreas de risco, isolamento completo de áreas de várzea que margeiam os rios córregos, dentre tantas outras. Por serem complexas, dificilmente seriam realizadas. Mas é possível tomar pequenas atitudes que minimizariam os problemas:

  • Evitar acúmulo de lixos e entulhos em quintais e terrenos baldios;
  • Manter o ambiente domiciliar sempre limpo evita que insetos e animais tenham o seu lar como fonte de alimentação;
  • Nunca descartar lixos diretamente na rua, por menores que sejam seus volumes;
  • Evitar regiões de várzeas assim que alagamentos forem detectados, buscando abrigo em áreas seguras antes de ter o contato com a água;
  • Descartar imediatamente alimentos que tiveram contato com a água de enchentes;
  • Contatar uma empresa dedetizadora para eliminar insetos e animais sinantrópicos de ambientes domiciliares.

 

A Limptec Desentupidora e Dedetizadora oferece soluções eficazes contra animais e insetos que se proliferam nos períodos de chuva e trazem risco à saúde humana. Além disto, oferece serviços de desentupimento de esgoto, tubulações, vasos sanitários; e limpeza de fossas, caixas de gordura, etc, tornando o ambiente livre de pragas urbanas.

A Limptec Desentupidora e Dedetizadora trabalha 24 horas por dia atendendo os quatro cantos da capital paulista, grande São Paulo e as principais cidades do interior e litoral.

Limptec. Solucionando com eficiência, rapidez e qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *