Tipos de fossas e sua manutenção

Tipos de Fossa

Antes de definir os diferentes tipos de fossas, vamos falar um pouco sobre o saneamento básico. O saneamento consiste no conjunto de atividades relacionadas sempre à qualidade de vida e à diminuição de possibilidades de doenças aos cidadãos. Esse conjunto refere-se ao abastecimento de água com qualidade, deslocamento de águas pluviais, coleta e tratamento de esgoto, limpeza urbana, controle de pragas e conscientização da população. Denomina-se básico, pois é o mínimo de que se necessita para a saúde coletiva visando à diminuição de índices de infecções e doenças.

Uma das mais importantes atividades relacionadas ao saneamento básico é o tratamento de esgoto, que baseia-se na remoção e tratamento dos dejetos sanitários oriundos de residências, estabelecimentos comerciais e indústrias. Mas em locais nos quais esse tratamento não é eficaz, como em meios rurais e bairros isolados, por exemplo, utilizam-se as estações primárias de esgoto, denominadas fossas. As mais utilizadas são as fossas secas, as negras e as sépticas.

Dentre os três tipos, a fossa negra é menos segura à saúde humana. Isso por que a fossa negra é uma escavação sem revestimentos nas paredes e na base, o que pode proporcionar a contaminação do solo. Por isso, deve ser esvaziada e limpa num curto período de tempo.

Já a fossa séptica é a mais utilizada e também a mais segura. Sua funcionalidade consiste em separar os dejetos sanitários num processo físico-químico que envolve três etapas. O esgoto é lançado em um tanque com baixo fluxo de água, no qual os dejetos sólidos ficam armazenados no fundo. Nesse local, a matéria orgânica é decomposta pela atividade das bactérias anaeróbias e, posteriormente, os líquidos são transferidos para um segundo tanque. Nele, o material resultante é filtrado e transferido para um terceiro compartimento denominado “sumidouro”, de onde a água pode retornar à natureza. Devido à presença de organismos patogênicos na parte sólida dos dejetos, essa deve ser retirada periodicamente através de um caminhão limpa-fossas e destinada a um local adequado.

A terceira fossa, a seca, diferencia-se das demais por não permitir a mistura do material orgânico com qualquer tipo de líquido e, por este motivo, recebe esse nome. Deve ser construída longe de lençóis freáticos e de locais de possíveis inundações e o compartimento deve possuir revestimento impermeável. Assim como os outros tipos de fossas, a seca também necessita periodicamente de uma limpeza.

Independentemente de qual tipo for utilizado, as fossas são fundamentais para a prevenção de doenças por evitar o contato com nascentes, rios, lagos e diretamente com o humano. A Limptec utiliza sua qualificada estrutura para a limpeza, a manutenção e o correto descarte dos dejetos das fossas.

Fontes: Wikipedia, Sabesp e Infoescola

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *